SANVENERO, uma aventura de curta duração


SANVENERO 125

Em 1980, Emilio Sanvenero, um grande empreiteiro da Tuscânia, entusiasta do motociclismo de velocidade e, na altura, sponsor da MBA, resolveu criar a sua própria marca para, a partir de 1981, competir no Campeonato do Mundo nas classes de 125cc e 500cc.


A 125cc (2T, 2 cilindros em linha transversal com admissão por válvulas rotativas) foi decalcada da MBA e possuía um braço oscilante desenhado por Antonio Cobas. Para além das motos oficiais, foram ainda produzidas 10 unidades competição cliente para serem vendidas a pilotos privados.


A 500cc foi, muito, inspirada na SUZUKI RG (2T, 4 cilindros em quadrado com admissão por válvulas rotativas). Possuía uma relação diâmetro x curso diferentes da SUZUKI, o facto de ter um menor curso implicava o motor fazer mais rotações e, consequentemente, um comportamento mais pontudo que a japonesa, desenvolvia 120 CV.


As peças dos cárteres foram produzidos na CAMPAGNOLO, as caixas de velocidades na CIMA, as cambotas na HOECKLE, os cilindros e os pistões na MAHLE, os quadros foram produzidos por Nico Bakker.


Para 1982, Emilio convenceu todo o staff da MBA - que entretanto tinha fechado portas – a acompanhá-lo nesta aventura.


A aventura terminou no fim de 1982 quando a empresa ficou insolvente!


125cc



Pier Paolo Bianchi (nr. 3) e Guy Bertin (nr.2)

A 125cc foi de imediato competitiva e em 1981 venceu dois GP. Em Monza (GP das Nações) Guy Bertin venceu, enquanto Ricardo Tormo se sagrou vencedor em Anderstorp (GP da Suécia). No final do campeonato Bertin foi 6º e Tormo 8º. Entre os construtores, a SANVENERO ficou em 3º.


Em 1982, Tormo ganhou em Spa-Francorchamps (GP da Bélgica) e, no final do ano, Pier Paolo Bianchi foi 4º, Tormo foi 5º, Hugo Vignetti foi 11º e Olivier Liégeois foi 24º. Entre os construtores , a marca ficou mais uma vez em 3º.


Apesar de em 1983 a marca já não estar ativa, Pier Paolo Bianchi ficou com material suficiente para cumprir mais uma época. Nestas condições conseguiu ainda alcançar por duas vezes a 3ª posição em Hockenheim (GP da Alemanha) e em Jarama (GP de Espanha).



500cc


Carlo Perugini


Em 1981, Carlo Perugini tripulou a 500cc sem grande brilho, não conseguiu nenhum ponto e o trabalho de desenvolvimento provou ser mais moroso que o inicialmente previsto.



Michel Frutschi

Em 1982, fruto de uma greve dos principais pilotos e equipas, devido a falta de segurança do circuito de Nogaro (GP de França), o suíço Michel Frutschi obteve a única vitória da marca nesta classe, pontuou também, desta vez com toda a concorrência presente, em Spa- Francorchamps (GP da Bélgica) onde foi 9º. No final do ano foi 14º no campeonato, enquanto a SANVENERO foi 5º entre os construtores. Neste ano, Bertin também tripulou a moto sem ter conseguido qualquer ponto.



Links:

https://cybermotorcycle.com/euro/brands/sanvenero.htm

https://it.wikipedia.org/wiki/Sanvenero

http://teamheronsuzuki.blogspot.com/2014/12/sanvenero-500-square-four.html

http://www.mcnews.com.au/sanvenero-125-and-500cc-gp-racers-from-the-1980s/


diminuido logo 02.png
  • Grupo
  • Página

© 2016-2020 por "MOTOSPOT Classic"