top of page

Beryl Swain, a primeira senhora a competir na Ilha de Man

Texto: Luís Cardoso


Beryl Swain (1936-2007)


"Algumas mulheres recusam-se a ser escravas da rotina", assim começou uma peça noticiosa da Pathé News em 1962, ano em que Beryl Swain participou no TT da Ilha de Man, "Um hobby improvável - corridas de moto e,” diz o locutor, com algum espanto mudo, “ela é boa nisso!”, ainda assim, essa foi a única vez em que a organização aceitou a sua inscrição!!! Beryl Swain, fruto da sua enorme força de vontade tornou-se uma lenda na fraternidade do TT da Ilha de Man, em 1962, aos 26 anos, foi a primeira mulher a participar, em corridas solo no TT da Ilha de Man, na classe Ultra Lightweight, 50cc TT, numa época em que andar de moto não era de forma nenhuma, considerado uma ocupação própria para senhoras.

Breve documentário sobre o mural que a artista Helen Bur, em 2019, pintou na cidade natal, Walthamstow/London, de Beryl (WOOD STREET walls / Street Artists for Hire London - Wood Street Walls)

Nesse ano, Beryl completou as duas voltas ao circuito utilizando uma ITOM 50cc Racer, terminou em 22º lugar à frente de alguns dos seus rivais masculinos, num total de 25 participantes, a sua velocidade média durante a corrida foi de 77,78 km/h (48,33 mph) isto apesar de ter perdido a 3ª velocidade, no decurso da segunda volta, aos comandos de uma ITOM de três velocidades de acionamento manual, foi um desempenho notável. Foi o primeiro ano em que a classe 50cc Ultra Lightweight recebeu o status de campeonato mundial, e a classe provou ser imensamente popular, no final, confiante, declarou a intenção de passar para as motos mais potentes no ano seguinte, ambicionando disputar a classe Senior 500cc TT.



No entanto, infelizmente, este não foi o início de uma carreira internacional para Beryl, Ao que se sabe, os responsáveis desportivos, a FIM junto com a ACU, tiveram medo da, eventual, publicidade negativa que poderia ser gerada no caso uma mulher sofrer um acidente fatal no decorrer do TT da Ilha de Man, assim tomou a lamentável decisão de revogar a emissão de licença internacional feminina tendo, em simultâneo introduzido uma regra de limite mínimo de peso que ela não poderia atingir.


Daqui resultou a proibição de participantes do sexo feminino durante um período de 15 anos , esta regra terá sido alterada em 1978, ano em que Hilary Musson participou na classe TT Fórmula 3, tendo terminado na 15º posição.



Musson continuou a correr no TT até 1985.


No entanto, em 1962, a introdução dessa regra discricionária acabou com o sonho de Beryl fazer uma carreira internacional.



Beryl Jean Tolman nasceu em 22 de janeiro de 1936 em Walthamstow, em 1952 conheceu Eddie Swain, de Bethnal Green, apaixonaram-se e casaram na Igreja de St Mary em Walthamstow em 1958.


Eddie era um motociclista que geria a sua própria oficina de conserto de automóveis e motos, a garagem CONNAUGHT Sport, em Stoke Newington.



Desde o início da vida em comum, Beryl ajudou Eddie a cuidar das suas motos de corrida, ele corria ocasionalmente e prestava assistência a vários outros pilotos em provas de caráter nacional.


Nesse ambiente, não demorou muito para que Beryl se entusiasmasse e exprimentasse o prazer da condução.



Eddie comprou para Beryl sua primeira moto, uma MOTO GUZZI Zigolo 98cc que ela usava como meio de transporte e o gosto pela condução e pela velocidade cresceu a partir desse ponto.


Um pouco mais tarde, Beryl descobriu que o estilo de pilotagem da MOTO GUZZI não combinava com ela, ou seja, não lhe dava a sensação de uma moto de corrida, então mudou para uma MASERATI Tipo 50-T2-SS 'Rospo' (também conhecida como Toad).



Este modelo, com uma posição de condução desportiva deu-lhe a possibilidade de obter experiência na estrada para as corridas e, por ser uma 50cc, permitiu que conseguisse explorar as capacidades do motor para corrida assim como para o uso diário.


Durante a semana, a moto tinha montada toda a parefernália de série, luzes, placa de matrícula, escape, mas no dia da corrida tudo isso era removido e as placas de número montadas.


Na altura, vários outros pilotos de 50cc fizeram o mesmo com as suas motos, o principal objetivo de Beryl era possuir uma, mais competitiva, ITOM 50cc Astor.


Girl Racer (1962) - (British Pathé - YouTube)


Beryl achou a experiência emocionante, tornou-se membro de vários moto clubes, começando com o 'The Chiltern 50 Motorcycle Club', que, postriormente, foi rebatizado 'Racing 50 Motor Cycle Club (R50MC)', e 'The Hackney Wick Speedway Club', era vista como um membro ativo dos grupos e não hesitava em expressar sua opinião sobre os assuntos relacionados com as corridas.


Logo, começou a participar nas corridas em Crystal Palace, Snetterton e Brands Hatch, na pequena classe de 50cc, ainda assim, neste processo, foi experimentado algumas motos de 500cc.


Em Brands Hatch, durante as filmagens para o programa "Sportsview" da BBC, Beryl, Margo Pearson e Pat Wise, após uma pausa de seis meses, ela fez tempos próximos (cerca de 3s) do recorde de volta para esta classe.



No final, para a imprensa, Beryl comentou: “Foi minha primeira vez na pista em seis meses as minhas mãos estavam congeladas em torno do acelerador" e acerca do circuito: "Senti-me muito bem neste traçado” Beryl foi sempre muito direta e dizia exatamente o que pensava, o 'R50MC' estava a esforçar-se para melhorar o calendário das corridas e sempre tentando encontrar novos locais para os membros correrem, nem sempre os membros entenderam isso, especialmente dos membros das corridas, ela não estava feliz e enviou uma carta reivindicativa à secretária para inclusão na edição de julho da revista do clube! Esta ação levou a uma discussão séria sobre como se poderia superar o problema, sem descuidar o interesse dos espectadores, se não houvesse um número de participantes a classe teria que fazer os tempos de pista ao lado de uma classe de cilindrada superior.


Foi quando adquiriu um fato de pele LEWIS LEATHERS de uma peça, que combinou com um capacete distintitivo que pintou para combinar com sua moto: vermelho com estrelas brancas para correr no continente e, ainda, o capacete roxo com estrelas amarelas, para combinar com o depósito que tinha fundo amarelo e estrelas roxas para o TT, em 1963 voltou ao esquema vermelho e branco.



PUB





Para além de Beryl e Eddie prepararem e afinarem a pequena moto, frequentemente, na sua cozinha, tinham a ajuda de dois outros amigos, Bob Summerill, o melhor amigo de seu irmão George, tornou-se seu primeiro mecânico - era conhecido por fazer maravilhas com a temperamental ITOM, ele disse que Beryl: “como piloto, era agressiva, muito agressiva e não cedia a ninguém”.


Fontes:

Kommentare


bottom of page