• Grupo
  • Página

© 2016-2019 por "MOTOSPOT NEWS"

MASERATI, a marca do tridente e as motos!

February 12, 2019

MASERATI 125 T2 

 

A prestigiosa marca transalpina MASERATI tem uma história que não se limita à industria automóvel, durante um curto período, foram produzidas motos que orgulhosamente ostentaram a marca do tridente.

 

Em 1937 a família Orsi de Modena, adquiriu aos irmãos Maserati (Bindo, Ernesto e Ettore) de Bolonha, a pequena empresa que ostentava o seu nome. Já nessa altura, a empresa produzia automóveis mas também velas de ignição e baterias. Em 1939 a operação industrial foi transferida para Modena, onde o grupo (incluía empresas ligadas aos transportes, navegação, minas, etc...) liderado por Adolfo Orsi tinha a base operacional.

 

As novas instalações permitiram criar uma unidade de produção autónoma para as velas de ignição, baterias e, posteriormente, lâmpadas. Em 1947 foi criada a sociedade anónima “Fabbrica Candele e Accumulatori Maserati”, a partir daqui esta empresa tornou-se autónoma ainda que partilhando a já valiosa imagem corporativa MASERATI.

 

Nos anos 50 as diversas atividades do grupo foram divididas entre os irmãos Orsi, Adolfo ficou com os automóveis, Marcello com a fundição e Ida com a “Fabbrica Candele e Accumulatori Maserati”.

 

 

As motos MASERATI

 

No pós-guerra, o transporte individual estava em grande expansão em Itália e a falta de dinheiro levava a que os ciclomotores e os motociclos ficassem com uma fatia significativa deste mercado. Em 1953, Ida resolveu entrar neste negócio, como não tinha experiência do mesmo, comprou uma pequena empresa, a ITALMOTO de Bolonha, a quem era justamente reconhecido know-how. A operação industrial foi transferida para Modena e o primeiro modelo produzido foi a ITALMOTO 160 T4 re-batizada MASERATI 160 T4.

 

Sem dúvida que a fiabilidade e a estética alemãs agradavam aos projetistas desta marca cujo segundo modelo foi uma 125cc, a L/T2, cujo motor era claramente inspirado no DKW.

O imediato sucesso comercial levou a empresa a alocar mais recursos a esta atividade, a entrada em crise do negócio das velas de ignição e das baterias, justificou ainda mais o reforço e a entrada no grande mercado das 50cc com os modelos T2/U (versão masculina) e T2/D (versão feminina) com diferentes quadros de acordo com o/a utilizador alvo.

 

Posteriormente, entraram em produção dois modelos 125cc 4T (T2/TV e T2/GTS) e dois modelos desportivos 50cc (T2/S e T2/SS). A T2/SS tornou-se a 50cc da moda na Itália dos anos 50, os jovens adoravam o seu aspeto desportivo com o quadro de look racing, porta nºs e tubo de escape falso!

Curiosamente, um dos concessionários mais importantes, teve uma reação negativa no primeiro contacto com o modelo: “O que é esse sapo feio?”. Este facto valeu a alcunha de “the toad” para este modelo e o concessionário em causa, redimiu-se criando um autocolante com um sapo que colava nos porta-nºs em jeito de publicidade. Aproveitando o sucesso deste modelo, a MASERATI promoveu juntamente com a rede de concessionários várias corridas que se tornaram lendárias, Milão-Taranto e muitas outras!

 

MASERATI 50 T2 SS ("The toad)

 

A marca atingiu o seu mais relevante feito desportivo na Volta a Itália de 1957 onde inscreveu nove motos 125cc GTS na classe Formula 3.

 

Imagens da participação desportiva, da esquerda para direita: Giuliano Trebbi, Guido Borri e a Squadra Borri

 

Entretanto, foram introduzidos novos modelos: 250/T4, 75cc 2T e 125/LE. Comercialmente, 1957 foi o seu apogeu, nessa altura vendia em Itália e resto da Europa, América do Sul e Norte de África.

Em 1958 entrou em crise, os clientes deixaram de encomendar e de pagar e, em 1960, encerrou a atividade.

A listagem de modelos de série produzidos é o seguinte:

 

. 125/T2 – 1953-1956 – 1 cilindro 2T/123,00 cc – 4,80 CV – 3 velocidades

. 160/T4 – 1953-1959 – 1 cilindro 4T/158,00 cc – 7,50 CV – 4 velocidades

. 125/TV – 1956-1959 – 1 cilindro 2T/123,00 cc – 6,00 CV – 4 velocidades

. 160/T4/TL – 1955 – 1 cilindro 4T/158,00 cc – 7,50 CV – 4 velocidades

. 125/T2/TL – 1955 – 1 cilindro 2T/123,00 cc – 4,80 CV – 3 velocidades

. 175/T4/S – 1956-1957 – 1 cilindro 4T/174,20 cc – 15,00 CV – 4 velocidades

. 250/T4/GT – 1955-1960 – 1 cilindro 4T/246,50 cc – 12,50 CV – 4 velocidades

. 125/GTS – 1957-1960 – 1 cilindro 2T/123,00 cc – 7,25 CV – 4 velocidades

. 50/T2/U – 1956-1960 – 1 cilindro 2T/49,63 cc – 2,40 CV – 3 velocidades

. 50/T2/D – 1956-1960 - 1 cilindro 2T/49,63 cc – 2,00 CV – 3 velocidades

. 50/T2/S – 1956-1960 - 1 cilindro 2T/49,63 cc – 3,00 CV – 3 velocidades

. 50/T2/SS - 1956-1960 - 1 cilindro 2T/49,63 cc – 3,00 CV – 3 velocidades

. L75/T2 – 1958-1960 – 1 cilindro 2T/74,00 cc – 4,50 CV – 3 velocidades
. 125/LE – 1959-1960 – 1 cilindro 2T/123,00 cc – 5,30 CV – 3 velocidades

. 50/T2/MT – 1958-1960 - 1 cilindro 2T/49,63 cc – 2,00 CV – 3 velocidades

 

 

 

 MASERATI 125 GT Super (1956)

 

MASERATI 160 Turismo Lusso T4 Type L (1956)

 

 MASERATI 125 T2

 

 

Fontes:

https://www.classicdriver.com/en/bike/maserati-motorcycles/1956/206273

https://silodrome.com/maserati-motorcycle

http://www.maserati-alfieri.co.uk/alfieri35.htm

https://www.hemmings.com/magazine/hmn/2006/11/1954-1959-Maserati-Tipo-125-GT-Super/1369478.html

https://www.nationalmcmuseum.org/2018/06/22/1956-maserati-160-turismo-lusso-t4-type-l/

https://rmsothebys.com/lf11/london/lots/1953-maserati-125-motorcycle/851177

https://www.redlinerestorations.net/maserati-motorcycle

http://www.italianways.com/the-maserati-50-t2-ss-the-two-wheeled-toad/

https://www.hagerty.com/articles-videos/articles/2014/03/04/italian-automaker-history

https://www.mecum.com/lots/LV0118-327673/1954-maserati-175/

http://www.maseratibikes.it/Maserati-eng/maserati_home_eng.htm

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

diminuido logo 02.png